12 de abril de 2011

Conhecimento!

Desde que nascemos até o momento de nossa partida, estamos em constante aprendizado. Não somente para aprender o que é ensinado nos bancos de escola, mas para aprender com o dia a dia, naqueles momentos em que pensamos estar sendo punidos pelas forças divinas.
    O nosso contexto social e educacional infere que somente seremos pessoas cultas e instruídas, com os conhecimentos adquiridos ao longo de nossa vida acadêmica; que carregar uma montanha de livros e ser especialista em determinada área é suficiente para subir alguns degraus na escada do conhecimento.
      O que ocorre, de fato, é a confusão entre os significados de quantidade de informação e conhecimento. O primeiro se refere aos fatos e notícias recebidas sobre um determinado assunto, enquanto o segundo se reporta ao método de internalizar e agregar as informações recebidas à nossa vida. Ou seja, conhecimento é toda a bagagem de informação utilizada de forma proveitosa e justa, sem abusos ou atos discriminatórios.
      Sempre digo a todos que o conhecimento é a única coisa que ninguém pode tirar de nós; que ele é a única coisa que nos pertence de verdade, mas não é uma propriedade que não possa ser compartilhada. Lembro de uma frase interessante que li num livro: "O verdadeiro filósofo é aquele que questiona a sua realidade". Logo, não adianta ler todos os livros, jornais, revistas, sites de notícias, se você não reflete sobre a informação que recebe. A partir do momento em que você passa a observar com mais cuidado tudo à sua volta, e principalmente onde você se encaixa nesse contexto, estará de fato usando todo o seu conhecimento.

4 comentários:

  1. Franci Rocha,

    Interessante sua abordagem sobre o conhecimento, ainda mais na tocante sobre a aplicação deste no cotidiano.
    Acrescento dizendo que a medida que se aprende e se busca ensina, deve-se, sobretudo, prezar pelo bom senso e pela tolerância às diferenças.
    Não é o uso que dá o tom, mas o BOM USO, certamente, o que remete ao cuidado que recomenda seu texto sobre a prática do conhecimento, que, muita vez, possuímos quantitativamente.
    Primando pelo conhecimento qualitativo, o qual você descreve como uma "bagagem de informação utilizada de forma proveitosa e justa, sem abusos ou atos discriminatórios", saúdo e recomendo seu artigo como uma leitura obrigatória para quem deseja estar no mundo e sentir-se nele por meio da relação dialogal.
    Meus melhores cumprimentos,

    Marcel Franco

    ResponderExcluir
  2. Francy

    Dada a relevância do artigo, republiquei no meu blog de variedades culturais, dando-lhe os seus devidos créditos.
    http://interfacesculturais.blogspot.com/2011/04/abordagem-sobre-o-conhecimento-e-sua.html
    Atenciosamente,

    Marcel

    ResponderExcluir
  3. Querida,
    Estou tão orgulhosa de ti...! Que surpresa boa o teu blog....
    Lendo sobre Sabedoria e Conhecimento, lembrei-me de uma frase que diz que "A sabedoria consiste em fazer bom uso do conhecimento" ou seja, no propósito do bem comum. Como já não me lembro se era Confúcio ou Sêneca, fui procurar na internet o autor; mas eis que, em vez da autoria, achei este pps muito interessante sobre o assunto. Agregue para si.
    Beijocas,
    Carol
    http://www.slideshare.net/guestd00baf/conhecimento-e-sabedoriay

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião!