17 de janeiro de 2016

Além do Tempo

O que uma obra de ficção pode nos trazer de valioso e novidade? Inicialmente, parece que nada pode nos oferecer; que as ocorrências da trama em nada se assemelha com nossas vidas. Mas basta fazer uma análise mais demorada que enxergaremos detalhes muito parecidos com nossos sentimentos mais íntimos, e que fazemos questão de não revelar pelo medo das críticas.

A novela Além do Tempo, escrita por Elizabeth Jhin, trata essencialmente da espiritualidade ao nosso redor. Apesar da autora não ser espírita, sua obra faz alusão direta às leis de reencarnação e causa e efeito. Assuntos amplamente estudados no movimento espírita, e que minimiza dúvidas e atenua dores seculares.

Além do Tempo com toda a sua poética e neutralidade, nos colocou diante de uma realidade tão latente quanto irrefutável. E tudo de uma forma tão simples que alguma pessoas passaram a questionar algumas de suas relações pessoais e familiares. Em verdade, esse é o objetivo de obras dessa magnitude, nos arrancar de conceitos e preconceitos tão antigos quanto a nossa própria existência.

Os dramas vividos e interpretados pelas personagens em duas épocas distintas, que se repetiam, mostram que os desígnios Divinos tem um grande propósito em nossa jornada. Muitas vezes aquilo que hoje tanto nos é furtado, pode significar que num passado não muito distante nós furtamos de alguém. Em outros casos é tão difícil se libertar da posse, como se fossemos senhores dos sentimentos alheios, e o outro é obrigado a ficar ao nosso lado.

Assim, percebemos que qualquer falta cometida contra as leis de Deus nos coloca em posição de reparo, e deveremos de alguma forma equilibrar o que desequilibramos; felicitar quem infelicitamos; amar quem odiamos, e acima de tudo aprender a conviver com aqueles que prejudicamos.

Com essa novela, é possível compreender a razão de medos inexplicáveis, saudades desconhecidas e antipatias imediatas. Cada situação descrita em Além do Tempo, nos coloca ante uma introspecção reflexiva, passando a tentar compreender o que sempre nos foi um mistério.

A ousadia da autora em retratar a reencarnação de forma tão explícita, onde a novela inteira passou por mudança de época e ligeiros acertos. E sempre mostrando que todos recebemos uma nova chance, para ajustar erros do passado. E cabe a cada um de nós compreender dentro de nossa realidade o que profundamente ncessitamos.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião!