17 de maio de 2016

A árvore da vida!


A existência é um plantio. Cada ato cometido é uma semente plantada nas terras do tempo, semeadas pelos próprios atos. Tudo quanto imagina-se, quer ou deseja floresce junto.

Não se pode romper os grilhões da colheita somente por não gostar do fruto. Nunca foi tão sincera e justa a frase: "o plantio é livre, mas a colheita é obrigatória". Os sonhos, desejos, almejos e ensejos levam para onde intimamente se quer, e lá se permanecerá enquanto se "desejar".

A causa das provações atuais encontra-se no plantio do passado, que momentaneamente não recorda-se pelo adormecimento da memória. O que foi plantado cresceu, e hoje é uma imensa árvore que necessita ser podada constantemente para que a cada primavera renasça uma copa linda e renovada.

O mesmo ocorre com as tendências inerentes a cada ser, no alvorecer de um novo recomeço. É necessário observar os comportamentos repetitivos e perniciosos, e então realizar o trabalho de podagem de tais tendências .

A medida que se avança em novas tentativas, deve-se ir gradativamente podando a árvore íntima novos sonhos, olhares, e reações. A melhora, a evolução são conquistas íntimas, e a luta é pessoal e intransferível. 

Cada ser precisa olhar para dentro de si e enxergar qual a prioridade do momento; aparar, regar renovar a terra e o adubo. O que é necessário para que essa árvore floresça mais, e lindamente? A resposta só pode partir de cada um.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe sua opinião!